Porque a obesidade interfere na qualidade de vida do seu cachorro?

Porque a obesidade interfere na qualidade de vida do seu cachorro ElevenChimps

Que atire a primeira pedra quem nunca achou fofo um cachorro “gordinho”. Não que haja algum problema em ver beleza em um dog acima do peso, mas uma reflexão mais técnica nos faz perceber o quão nociva para a saúde é a obesidade no cachorro, independente de sua idade.

Uma pesquisa internacional realizada com tutores revelou que 54% deles cedem aos apelos e oferecem mais alimentos a cachorros e gatos, o que explica outro dado da pesquisa: cerca de 59% dos dogs, em todo o mundo, estão acima do peso.

Essa epidemia de obesidade em cachorros é resultado de uma conta simples: ele consome mais calorias do que o corpo está gastando.

Isso se dá muitas vezes pelo fato de nós, tutores, nos deixarmos seduzir pelo olhar pidão dos nossos dogs ou pelo fato de oferecermos petiscos para compensar o tempo que passamos longe e até por subestimarmos a importância da atividade física para os cães.

É claro que devemos considerar que algumas raças têm maior predisposição a fazer reserva de energia e acumular uns quilinhos, e também cada cachorro é único, com respostas metabólicas distintas.

Ou seja, o que resulta em obesidade em um cachorro, não necessariamente resultará em sobrepeso para outro. É por isso que é essencial que o dog seja avaliado por um profissional, que levará em consideração diversos fatores como a idade, a raça, o sexo, o grau de atividade, etc.

Mas o excesso de peso é tão sério assim, devo realmente me preocupar? A resposta é um expressivo sim!

Assim como em humanos, a obesidade no cachorro deve ser considerada uma doença e a sua gravidade cresce à medida que o sobrepeso avança e atinge diversos sistemas, afetando-os gradualmente, de maneira silenciosa – discreta aos olhos do tutor, expondo sua gravidade quando o quadro já está avançado, requerendo atitudes mais sérias como o emprego de medicações e restrições alimentares significativas.

Isso quer dizer que o comprometimento dos sistemas respiratório, cardíaco, hepático, esquelético não dão sinais prévios, sendo necessária a realização de exames laboratoriais e de imagem para constatar o quão danoso o sobrepeso está sendo para o seu dog.

Infelizmente, esses exames poderão trazer surpresas desagradáveis como problemas osteoarticulares, pancreatite, acúmulo de gordura no fígado (esteatose hepática), colesterol e triglicérides elevados, entre outros problemas que, podem até, reduzir a expectativa de vida do seu querido amigo.

Ou seja, o melhor caminho é mesmo a prevenção.

Pensando na seriedade deste assunto, e sempre visando o bem-estar de seu dog, deixamos aqui algumas dicas valiosas para evitar a obesidade no cachorro:

1. Evite oferecer petiscos em excesso

Recomenda-se que a quantidade a ser oferecida diariamente não ultrapasse 20% da quantidade de alimentação natural que o dog recebe diariamente. Por exemplo: se o seu dog come 250g de comida de verdade todos os dias, o ideal é que ele não receba mais que 50g de petiscos ao longo do dia.

2. Procure organizar a alimentação do seu dog

Se há mais de uma pessoa responsável por cuidar do bichinho, procurem sempre trocar informações para não correr o risco de ultrapassar a quantidade de comida e de petiscos que serão oferecidos no dia – essa é uma das razões para obesidade no cachorro.

3. Incentive a prática de atividades físicas

Não necessariamente significa aumentar as horas de passeio, mas promover movimento, ou seja, elaborar um enriquecimento ambiental – de preferência que não envolva alimentos. Brincar de bolinha, cabo de guerra, esconde-esconde, são maneiras de fazer seu companheiro sair do sedentarismo e gastar algumas calorias da maneira que ele mais gosta: interagindo com você!

4. Ofereça uma dieta equilibrada

Isso significa: comida de boa qualidade, rica em fibras de qualidade e sem exceder nos petiscos. Lembrando que a oferta de alimentação natural é uma excelente aliada também quando o assunto é a perda peso, pois tem elevados teores de água, contém fibras solúveis e insolúveis, é fonte de proteínas de alta valor biológico e tem gorduras saudáveis.

Tudo isso ajudando a aumentar a sensação de saciedade. Além, é claro, de ser biologicamente apropriada à fisiologia digestiva do seu melhor amigo.

Neste post mostramos como a obesidade em seu cachorro pode gerar problemas na qualidade de vida e como a alimentação natural colabora com a manutenção do peso ideal em função de suas múltiplas qualidades.

Caso você tenha ficado com dúvidas quanto ao peso ideal do seu dog, converse com nossos especialistas. Eles poderão orientar quanto a melhor alimentação para que ele esteja sempre saudável e de bem com a vida!

Compartilhe