Qualidade de vida para cachorros: seu dog mais saudável e feliz!

Qualidade de vida para cachorros: seu dog mais saudável e feliz!

Quem tem sabe a felicidade que a convivência com um cachorro proporciona. Eles se tornam presença importante da nossa vida, como membros da família, e fazem parte de momentos inesquecíveis.

A expectativa de vida dos dogs é uma questão que depende de inúmeros fatores. Mas mirar a qualidade de vida para o seu cachorro é uma ação que deve começar cedo – de preferência desde filhote.

Existem cachorros que chegam a viver quase duas décadas – conheça a história de Bluey, que viveu incríveis 29 anos! E nesse tempo, claro, ajudam a construir e protagonizar muitos momentos marcantes. Os dogs são nossos companheiros, amigos de todas as horas, protetores do lar e mestres em nos ensinar o  amor incondicional.

Cuidar com carinho e atenção dos nossos cachorros é uma forma de retribuir a esse companheirismo, preservar seu bem-estar e fazer com que eles sejas saudáveis e felizes.

No texto a seguir, falaremos sobre conservar a qualidade de vida dos cachorros, os desafios que os hábitos modernos podem trazer ao convívio, a importância de estreitar laços com o seu dog no dia a dia e, ainda,  o papel da alimentação natural na manutenção de uma boa saúde.

Qualidade de vida para cachorros: companhia por mais tempo

A qualidade de vida do dog é resultado de uma somatória de hábitos e costumes que ele desenvolve ou adquire ao longo da vida.

Nesse cenário, cabe ao tutor a total responsabilidade de propiciar ao dog todos os instrumentos para que ele se desenvolva e viva da melhor forma, com saúde, disposição, vigor e felicidade.

Afinal, todos os momentos estão aí para serem vividos intensamente! Para isso, cuidar da saúde, da alimentação e proporcionar ao seu cachorro uma rotina ativa, de atividade física são fatores fundamentais para ajudar no seu desenvolvimento e contribuir com a sua saúde.

E quando o assunto é qualidade de vida para cachorros, o enriquecimento ambiental (EA) tem um papel essencial.

Assimilar conceitos como esse desperta nossa atenção para inúmeras vertentes que envolvem o cuidado de nossos cachorros: da alimentação ao laço com o tutor, o convívio social com outros cachorros, o estímulo a sentidos sensoriais diversos como olfato e audição, exercícios para  memória e raciocínio, entre outros.

De brinquedos que despertam a atenção e o lado cognitivo à prática de exercícios físicos, toda essa dinâmica proporciona uma vida saudável, ativa e de bem-estar para o dog.

Para você ter ideia da comoção e da movimentação que os dogs causam na nossa vida, até massagem relaxante e acupuntura podem ser oferecidas.

No caso da massagem para cachorros, você mesmo pode aprender a aplicar – ou quem sabe até desenvolver uma técnica própria depois que absorver alguns conhecimentos.

A massagem relaxante tem papel importante, podendo auxiliar na cura de lesões e melhora de funções corporais como a circulação, além de criar mais uma forma de vínculo com seu dog, afinal é um momento especial de relaxamento e curtição – e que merece ser aproveitado!

Ela ajuda oferece uma grande sensação de bem-estar e qualidade de vida para o cachorro: experimente!

A seguir falaremos mais sobre alguns fatores que podem configurar obstáculos à manutenção da qualidade de vida para seu cachorro. Atenção aos hábitos, comportamentos e sinais biológicos do seu dog. Se perceber algo estranho, não hesite em procurar um profissional especializado.

Fatores que interferem na qualidade de vida dos cachorros

Do sedentarismo ao apetite insaciável, da falta de vacinação à uma higiene defeituosa, uma série de fatores podem agravar o quadro de saúde do seu cachorro.

A seguir, falaremos sobre os principais desafios para manter uma vida saudável.

Obesidade

De acordo com as pesquisas, a obesidade é um dos principais problemas que acomete os cachorros, abala a qualidade de vida e faz o seu dog viver menos.

O excesso de peso, além de dificultar a locomoção e interferir na prática de exercícios, desregula uma série de taxas do organismo do dog e diminui, inclusive, a expectativa de vida.

Um estudo realizado pela Universidade de Liverpool, que analisou mais de 50 mil cachorros de 12 raças diferentes, mostrou que, em geral, os dogs obesos vivem dois anos a menos do que um cachorro com o peso ideal.

E como identificar o nível de obesidade do cachorro? Os cachorros podem estar acima do peso por diferentes motivos. Problemas no metabolismo podem ocasionar o ganho de peso, mas na maior parte das vezes isso pode acontecer devido a algum problema na dieta ou até mesmo pela falta de exercício físico.

Assim como acontece com o ser humano, o ganho calórico do dog deve acompanhar o nível de gasto. Dessa forma, nenhuma sobra residual em forma de gordura ficará alojada. Mas qual a escala de obesidade para cachorros?

Não existe nenhum cálculo específico – como nós temos o IMC (Índice de Massa Corporal). Mas falaremos sobre dois quadros em que é possível perceber alterações.

  1. Sobrepeso: Depósitos de gordura maciços sobre tórax, espinha e base da cauda. Depósitos de gordura no pescoço e membros. Distensão abdominal evidente.
  2. Obeso: Depósitos de gordura maciços sobre tórax, espinha e base da cauda. Depósitos de gordura no pescoço e membros. Distensão abdominal evidente.

Falta de atividade física

Uma rotina de exercícios físicos é fundamental para a manutenção de uma vida saudável.

A falta de atividade, mesmo que de baixa intensidade como caminhadas e passeios curtos, torna o dog sedentário, contribui para a instalação de um quadro de obesidade e acaba por comprometer seu metabolismo.

Dependendo do habitat natural e do porte do dog, passeios diários são quase que obrigatórios. E essa rotina de atividade é importante não só para a saúde, mas para o bom funcionamento do corpo e até em quesito de convívio social com outros cães.

O convívio com o exterior traz outros estímulos fundamentais ao desenvolvimento e qualidade de vida para o cachorro, envolvendo questões sensoriais, de convívio social e comportamentais.

imagem: https://pixabay.com/photos/friends-dog-pet-woman-suit-sunset-3042751/

Visitas regulares ao veterinário

Fazer visitas regulares ao veterinário, ainda que sazonalmente, é uma forma prevenir seu cachorro contra uma série de doenças.

Não só por manter a carteira de vacinação em dia, o que é fundamental independente da idade, sobretudo para cachorros filhotes, mas pela necessidade de um profissional especializado acompanhar a evolução do quadro clínico do animal.

Quando temos alguém de confiança para cuidar do nosso dog, esse profissional acompanha e monitora cada fase do seu desenvolvimento, traçando comparações e análises para entender as motivações do aparecimento deste ou daquele problema.

Outra questão: tudo depende de estimular o hábito. Levar o dog ao veterinário desde pequeno é uma forma dele se acostumar com o ambiente, com o profissional em questão e não perpetuar nenhum trauma ao longo da vida com relação aos consultórios.

Abdicar dessa rotina é oferecer mecanismos para o cachorro criar resistência ao ambiente veterinário, o que só dificulta o quadro quando o assunto é o tratamento.

Abaixo, falaremos mais sobre algumas doenças que podem ser prevenidas com consultas regulares a profissionais especializados, garantindo maior qualidade de vida para cachorros. E também com uma dieta alimentar baseada em ingredientes naturais e comida fresca.

1. Diabetes

Nos humanos a diabetes já é uma doença difícil de ser identificada. Ela pode permanecer oculta por muito tempo até o diagnóstico preciso. E isso acarreta uma série de problemas.

Alguns tutores podem ficar assustados ao se deparar com o fato de que o dog desenvolveu uma doença que, reconhecidamente, afeta os humanos. Mas calma! Existem alguns tratamentos para controlar a doença e manter a qualidade de vida do cachorro.

Assim como no caso dos humanos, quadros de diabetes podem se instalar em razão de maus hábitos – e claro que a alimentação está inclusa. A diabetes se manifesta a partir da dificuldade do pâncreas produzir insulina.

Com isso, o dog apresenta um déficit desse hormônio – fundamental para fazer o transporte da glicose para as células do corpo – onde é revertida em energia. A partir da deficiência na produção do hormônio, o dog passa a ter uma alta concentração de glicose no sangue.

Alterar a dieta do seu cachorro para alimentação natural pode ser uma ótima saída para combater o quadro. A partir de opções balanceadas, é possível selecionar alimentos com baixo teor de carboidrato, para combater o excesso de açúcares, e apostar na ingestão de grandes doses de vitaminas e minerais.

Falaremos mais abaixo sobre as vantagens da alimentação natural.

2. Alergias

Sarcopenia, mais conhecida como lágrima ácida, e outros problemas de pele podem demonstrar a irritabilidade e sensibilidade do organismo do cachorro.

A queda de pelos, por exemplo, costuma ter influência direta de algum problema na alimentação. Mas também pode acontecer por outros motivos, como a sazonalidade, fatores emocionais, estresse e até uma mudança brusca na rotina.

A alimentação natural tem papel importante no combate às alergias. Rica em nutrientes e vitaminas, a dieta baseada em alimentos frescos pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico do dog.

Além disso, existem ingredientes com propriedades antioxidantes e anti inflamatórias que podem ajudar a amenizar o quadro.

A lágrima ácida, secreção que incomoda tanto aos dogs quanto aos tutores, também pode ser combatida com êxito a partir da adesão à alimentação natural. O quadro pode se instalar devido a irritabilidade ou inflamação do canal lacrimal, que acaba mantendo uma secreção acumulada.

3. Insuficiência Renal

Como o próprio nome já sugere, esse quadro se instala quando os rins do dog já não conseguem mais realizar atividades básicas, como a limpeza do sangue e a remoção das impurezas do corpo por meio da urina.

Além de debilitar o dog no dia a dia, a insuficiência renal vai minando a saúde e qualidade de vida do cachorro de forma gradual. Saiba como identificar um quadro de insuficiência renal no seu dog a seguir.

  • Repare na sua sede: o aumento da ingestão de água pode significar um problema.
  • Úlceras na boca e focinho: por vezes, a doença se manifesta com feridas que podem ser percebidas facilmente.
  • Monitore o xixi: um maior volume de urina pode indicar que algo não vai bem com o sistema de filtragem do corpo.
  • Hálito com odor forte: normalmente, os dogs têm um hálito pesado – inclusive já falamos de saúde bucal -, mas preste atenção: se for persistente, procure um especialista.

Alimentação Natural: escolha saudável, nutritiva e apetitosa!

Adotar a alimentação natural para o seu dog é retomar um elo milenar de conexão. Mais saudável e rica em nutrientes, a dieta baseada em comida de verdade contribui para aumentar a expectativa de vida do cão e proporciona inúmeros benefícios, inclusive aumentando a felicidade e a qualidade de vida dos cachorros.

A má alimentação sempre foi um obstáculo à vida saudável, seja para humanos ou cachorros. Uma dieta desregulada pode ser vetor de inúmeras doenças como obesidade, alergias e até mesmo outras complicações como diabetes e problemas renais.

As rações comuns, comercializadas pela grande indústria, contêm muitos subprodutos que podem ser danosos a saúde do dog. Começando pela própria composição, a ração convencional é muito mais seca do que a alimentação natural.

Enquanto a alimentação natural pode chegar a ter até 80% de água, as rações comuns só chegam a 12% de umidade. Uma comida mais seca, consumida ao longo do tempo, pode motivar alguns problemas, sobretudo em termos de filtragem das funções renais.

Em paralelo à isso, grande parte dos produtos ultraprocessados da indústria nem sempre incluem em sua composição os itens que estão informados no rótulo. Um estudo vinculado à Esalq-USP analisou 82 amostras de ração de 25 marcas diferentes.

O resultado: a maior parte, em vez de usar carne bovina como constava na embalagem, recorria a ingredientes como milho e frango para constituir a maior parte da sua ração.

A alimentação natural, portanto, é uma alternativa para quem quer oferecer, ao seu cachorro, instrumentos para uma vida melhor. E entenda: alimentação natural não é moda – e nem algo passageiro.

Por todas as diferenças entre uma opção e outra, o momento de transição na alimentação exige cuidados. O seu dog pode apresentar algumas mudanças fisiológicas e comportamentais, como o fato das fezes ficarem um pouco mais pastosas e seu apetite aumentar.

Mas não se preocupe. Nossos  especialistas em refeição natural, elaboraram informações sobre quais mudanças esperar no seu dog a partir da adesão a uma nova dieta – vale a pena conferir.

imagem: https://pixabay.com/photos/carrot-vegetables-vitamins-food-4445193/

Controle de doenças através da alimentação natural

Uma maior consciência em torno da alimentação. É isso que tem pautado as discussões em torno da alimentação natural para cachorros, afinal, somos o que comemos – e com os dogs não é diferente.

Uma dieta saudável e balanceada pode melhorar – e muito – a qualidade de vida do seu cachorro. Do apetite à disposição para o dia a dia, passando pelo controle de inúmeras doenças, a alimentação natural proporciona uma vida mais saudável.

Em primeiro lugar, a obesidade – que é um mal para muitos cachorros – passa a ser controlada a partir de uma alimentação regrada e com ingredientes frescos e pré-selecionados. Lembre-se, pois é importante: alimentação natural não tem nada a ver com comida caseira.

Apesar de contar com ingredientes frescos, a comida natural para os dogs não pode conter nenhum tipo de tempero e nem envolver frituras, caramelizações e nada do tipo. Deve ser servida cozida e sem adição de sal.

O cozimento, inclusive, é um grande desafio. A cocção no vapor é recomendada pois preserva grande parte dos nutrientes do alimento, que podem se perder em outros métodos de preparo.

A partir da adesão a uma dieta saudável, as mudanças fisiológicas e comportamentais são perceptíveis. O aspecto da pelagem melhora, fica mais brilhosa e saudável.

Casos alérgicos como sarcopenia e alopecia, por exemplo, passam a ser amplamente combatidos com a entrada da alimentação natural.

Mas deve se tomar cuidado ao balancear a alimentação para os cachorros. A comida de verdade, feita com ingredientes frescos, é muito mais agradável ao paladar do dog. E por isso, enquanto oferecer, ele vai aceitar.

É essencial porcionar a quantidade correta, garantindo o consumo suficiente de alimentos – a falta ou o excesso prejudicam a saúde e qualidade de vida – e ajudando o dog nesse momento de transição, em que ele precisa acostumar o trato digestivo à nova dieta.

O maior índice de umidade na alimentação, como já falamos acima, também beneficia o trato urinário do cachorro, que passa a sentir menos sede no decorrer do dia por conta de uma alimentação menos seca.

Cuidado e carinho: estreitando os laços entre dog e tutor

Repensar a alimentação do seu cachorro, apostando em uma dieta com alimentação natural, é também retomar um elo de conexão com o dog.

Prezar por uma vida mais saudável, com mais disposição e qualidade, é fazer com que seu dog ganhe em expectativa de vida, conviva com você por mais tempo e possa compartilhar inúmeros momentos da sua vida.

Afinal, nossos cachorros são companheiros fiéis. E merecem um tratamento à altura. Oferecer alimentação natural de qualidade a ele não é nada mais do que defender seu direito a uma boa saúde.

É nisso que a ElevenChimps acredita: proporcionar qualidade de vida aos cachorros através de uma alimentação natural balanceada.

Aqui, assumimos o compromisso de selecionar os melhores ingredientes frescos, cuidar do preparo de forma gradual e porcionar tudo conforme as necessidades do seu dog.

Para fazer tudo de forma personalizada, contamos com a colaboração dos tutores, que compartilham informações detalhadas do dog em um questionário.

Nesse documento devem ser mencionados hábitos, preferências, comportamentos, eventuais limitações ou restrições de saúde do cachorro.

Dessa forma, conseguimos moldar uma dieta balanceada, seguindo as necessidades particulares de cada dog, para maximizarmos os resultados da alimentação natural no bem-estar do seu cachorro.

Lembre-se de que, no caso de ter dois ou mais cachorros em casa, o momento da alimentação requer cuidados especiais. Em primeiro lugar, por que a alimentação natural, como já dissemos, deve ser personalizada conforme as necessidades de cada cachorro em particular.

Quando alimenta-se dois cachorros no mesmo momento e ambiente, corre-se o risco de um comer mais do que outro ou até pior – comer o que não deveria da dieta do outro. Os dois se atrapalham no momento da refeição e quem sai perdendo é a saúde de ambos.

Aliado ao cuidado com a alimentação, que graças ao modelo de negócio da ElevenChimps  chega já porcionada e pré-preparada a sua casa, é ideal incentivar o dog a uma rotina de atividade física.

Dessa forma, é possível queimar a sobra residual de gordura, ativar as musculaturas e articulações e manter um estilo de vida saudável, disposto e equilibrado.

O momento de descanso do cachorro também é fundamental para recompor as energias. Certifique-se que o lugar que ele repousa é agradável, protegido da chuva e das intempéries, distante de altos ruídos e confortável para o repouso.

Todas essas variáveis contribuem com uma boa qualidade de vida para os cachorros. Afinal, proporcionar ao seu dog uma vida saudável e longeva é garantir companhia para momentos inesquecíveis.

Para conhecer mais sobre a atuação da ElevenChimps, a forma de assinatura e a personalização da dieta, fale com nossos especialistas e saiba como a alimentação natural interfere na qualidade de vida para cachorros.

QUERO MAIS QUALIDADE DE VIDA PARA MEU DOG

Compartilhe